Sunday, June 30, 2013

Postais do Inferno: Repetindo o óbvio há mais de 60 anos

"O poema não pertence nem ao crítico nem ao seu autor. 
O poema descola-se do seu autor no momento em que nasce 

Imagem minha: Mancha na Parede

e sai pelo mundo afora 
além do poder da intenção ou do controle do seu autor. 
O poema pertence ao público."
Trecho de "A Falácia da Intenção" de Wimsatt & Beardsley, 1946

Thursday, June 27, 2013

Convite para sábado, dia 29 de Junho na Mineiriana


Poesia Minha: Sonata [última parte]


III
São pessoas muito sérias,
            não se encontram no momento
            mas retornam assim que puder.
A janela está fechada;
            ruge o trânsito lá fora.
            Paciência, meu amigo:
            não chegou a sua hora.
Você precisa ter fé,
            quem alcança sempre espera
            se não morre no caminho:
esse mesmo verme que te come
            rói também aos poucos
            a medula muito séria
            dessa gente muito séria.

Wednesday, June 26, 2013

Poesia Minha: Sonata [parte 2 de 3]


II
Quando tem tempo demais
            sai correndo, derrubando
            estabanado tudo que vale a pena.
            Quando tem tempo de menos
dorme seus sonhos mofados,
            sempre comendo migalhas,
            a água subindo até o pescoço
            e a cabeça enterrada na areia.
Hoje você é pasto apaixonado
            pelo gado; amanhã será
            óleo na máquina pasma
que vende a geléia da verdade
            e o elixir do tempo perdido
            de quatro em quatro anos.

Tuesday, June 25, 2013

Poesia minha: Sonata [em três partes]



I
É um grupo muito sério
            de pessoas muito sérias
            com assuntos muito sérios
            para perder tempo com você.
Na engorda ou na espreita,
            mosca batendo a cabeça
            na vidraça do mercado,
            você come cru ou azedo
e não sabe nem quer saber
            e rouba no preço e rouba no peso
            e rouba na nota e rouba no frete
            e tem pressa e tem medo
e não vale muito mais
            que esse coração submerso.

Saturday, June 22, 2013

Impressões sobre a passeata de campinas de quinta-feira

1. Resolvi escrever especificamente sobre o que eu vi com meus próprios olhos em Campinas, sem levar em conta nenhum tipo de análise sobre um significado maior para o que está acontecendo no Brasil. Esclareço:  falo sobre o que eu vi em Campinas na quinta-feira sem qualquer certeza de que vi ali o mesmo que está acontecendo em outros lugares do Brasil e sem qualquer certeza sobre o significado do que eu vi.
2. Vi um pequeno punhado de gente com cartazes pedindo o impeachment de Dilma. Não eram maioria de jeito nenhum, mas estavam lá. Vi um grupo com um cartaz bem grande a favor do "armamento" da população e desarmamento dos "bandidos". Uma minoria respeitável levava cartazes genéricos contra a corrupção, a favor da bondade e do amor. Vi dois cartazes claramente "evangélicos" e um punhado considerável de cartazes contra Feliciano e a "cura gay". Vi um cartaz de "menos IR" e um de "Acabem com o IPVA ou com os pedágios" e mesmo um a favor da castração gratuita de animais de estimação.
3. Só achei um lugar em que me senti à vontade, perto do aglomerado de estudantes da Unicamp que tinham cartazes e gritavam slogans com os quais eu me sentia à vontade.
4. Assisti atônito à repressão de militantes do PSTU que levantaram as suas bandeiras aos gritos de "sem partido" e "somos brasileiros". Ninguém incomoda o sujeito que pega carona no movimento para pregar o impeachment da Dilma ou mesmo sugerir saudades da ditadura, mas vão encher o saco do sujeito que resolve balançar uma bandeira vermelha?
5. Mais tarde o pau comeu, mas aí eu já não era mais testemunha ocular de nada.

Friday, June 14, 2013

Poesia minha: Glória da Ciência Nacional


Glória da ciência nacional

Já estavam quase
aprendendo a viver
quase sem comer
quando vieram a falecer,
deixando pra trás os que,
sem poder adormecer
seus doces sonhos de consumo,
acabaram comprando
com uma arma na mão,
disposição
e uma idéia na cabeça
quatorze passos lacrimosos
até Ribeirão das Neves
onde,
antes de finalmente aprender
a ser pobre sem trauma de pobreza,
vieram a falecer.
não sem antes dar a César
o que é de César:            
esse medo que move                                                        
esse ajustamento duro,     
esse consenso asmático
que faz de quinhentos anos
de crassa violência
companheira nossa
diária, fiel,
nossa identidade nacional             
(se tiver esôfago,
pergunte à esfinge
brasileira média                                      
se ela não acha               
que bandido bom
é bandido morto).

E enquanto isso,                                    
uma cabeça na mão
e as idéias enterradas
na areia fresca da praia,                            
fazendo as pazes conosco
ou vivendo em guerra conosco,                              
queremos não ver
todas as vidas moídas
da cana ao açúcar duro                 
que adoça o café amargo                           
que chega sempre quentinho
logo após a sobremesa.    

Thursday, June 13, 2013

Postais


É na beleza que se esconde sob a superfície mais ordinária
 
Imagem: quadro da série Unplanned Cities de Letícia Galizzi
que ferve a tensão 
entre a zona da vida 
e a severidade da arte.

Wednesday, June 12, 2013

Postais da Babilônia: Universo Ideológico Monocromático

"Um universo ideológico monocromático
 
Jasper Johns: American Flag Series
uma ordem capitalista total, 
sem fraquezas de social-democracia
ou organização independente dos trabalhadores." 

Adaptado de artigo de Perry Anderson chamado "Homeland" na NewLeftReview.  

Glossario Impertinente 5: "Comunidade"


Dependendo da "comunidade" Joaquim Barbosa é o Batmão ou o Moringa do STF
5. Comunidade: normalmente reproduz a comunidade que se encontra no bar da esquina, acrescida do pessoal que foi trabalhar em SP ou que voltou de SP quando a comunidade é de SP. Na comunidade ninguém discorda de ninguém nunca e, ajudados por um sistema de apoio mútuo, as opiniões vão se tornando cada vez mais extremadas. Assim, qualquer Zé-Mané vira “fascista” ou “comunista de merda” dependendo das simpatias políticas da freguesia. O cantor da moda [aquele que você não sabe mais quem é daqui há cinco anos] é a pior coisa que aconteceu no mundo dos sons produzidos por seres humanos depois da vuvuzela. Lula e todos os outros políticos são demônios ou santos e nada mais. Quando seu candidato ganha a eleição, o “povo” é sábio; quando perde o “povo” é burro. Quando o STF vota a favor da sua opinião, ele é um “bastião” da democracia; quando vota contra é um covil de safados. O mensalão é o pior escândalo de corrupção de todos os tempos ou não passa de uma farsa grotesca. Seu time ganha três jogos seguidos e vira o Barcelona; perde três e vira “um vexame”.    

Monday, June 10, 2013

Glossário Impertinente 4: a polêmica chuta-cachorro-morto

-->
Rolou um amor não correspondido nessa foto, né não?
4. Polêmica chuta-cachorro-morto: as polêmicas que mais dão linha na internet são aquelas que incitam a indignação geral, com muitos comentários com LETRAS maiúsculas e pontos de exclamação e muito “que nojo”, “é um canalha” e coisas do tipo. Exemplos [claro todos pautados pela mídia que o “debate” na internet supõe substituir]: sujeito mata e come trinta e cinco bebês em São Gonçalo, policiais espancam um sujeito qualquer que não fez nada de errado no meio da rua, velho aposentado desmaia de fome depois de esperar 34 horas na fila do hospital, cantor semi-aposentado de roque diz que Carlos Drummond de Andrade era um imbecil que não sabia rimar direito e que Dilma é possuída pelo demônio etc. São polêmicas falsas, que fazem uma barulheira danada para esconder o fato de serem completamente ocas, mas que satisfazem a legião de hemorroidários [que fazem os comentários acima] e os puxa-sacos que comentam dizendo coisas como “você acerta sempre na mosca”, “é isso mesmo”, “você tem toda a razão”, “obrigado por dizer a verdade como ela é” etc. Ah, e tem também o hemorroidário/puxa-saco, que combina os dois comentários em um só.

Sunday, June 09, 2013

Glossário Impertinente 3: "Intervir no Debate"


Na foto um interventor de debates se prosta frente a seus deuses supremos em busca de nova pauta.
3. Intervir no debate: a ideia é a de que você vai publicamente dar sua opinião e/ou contribuir com informações nas redes sociais da internet sobre alguma evento da atualidade com a intenção de informar/influenciar a opinião pública. O que é ou que não é “evento da atualidade” vai depender da pauta noticiada pela mídia nacional. Em outras palavras, para intervir no debate você tem que viver a reboque das notícias de jornalões e revistas. Sim, porque se a sua “intervenção” não disser respeito ao assunto “em debate” você nunca terá público suficiente para realmente “intervir no debate.” Para ter muitos “seguidores” [o nome diz muito] e poder intervir no debate você tem que falar sobre entrevista do cantor semi-aposentado e furioso, a coluna do colunista conservador/hemorroidário, o editorial do JN, o incidente constrangedor do Pânico no Gugu, a polêmica do ex-AA no BBB, o jogo de futebol da seleção brasileira, as Olimpíadas, a Copa do Mundo, o massacre com armas de fogo nos Estados Unidos, a Guerra na Síria, alguma lei que acaba de ser votada no congresso etc.

Glossário impertinente sobre internet: o Hemorroidário


2. Hemorroidário: é aquele internauta que vive em “dia de fúria”. Seu estado permanente é de indignação profunda. Sua exclamação mais frequente é “que absurdo”. O hemorroidário frequentemente volta-se contra o seu próprio país, alternando curiosos momentos de paixão patrioteira. “Só nesse país mesmo para...” é a introdução preferida dos seus comentários. Somos os mais corruptos, os mais indolentes, os mais safados, os mais inconsequentes, os mais alienados, os mais ridículos, os mais deslumbrados. Não importa o quê: se for ruim, nós somos os piores.

Friday, June 07, 2013

Glossário Impertinente da Internet 1: Debate




1. Debate: debate é na internet um nome chique para bate-boca. Ao primeiro sinal de discordância sobre qualquer assunto, começam a voar pelas ondas da internet adjetivos do tipo “desinformado”, “ingênuo” e “ignorante”, que logo viram “covarde”, “safado” e “canalha”, e daí descambam para xingamentos de estádio de futebol e ameaças mais ou menos veladas de agressão. O debate serve para manter a pureza da “comunidade”.

Thursday, June 06, 2013

Poesía Mexicana: poemínimos de Efraín Huerta


Efraín Huerta aqui
Pequeño Larrouse
"Nació
En Silao.
1914.
Autor
De versos
De contenido
Social."
Embustero
Larousse.
Yo sólo
Escribo
Versos
De contenido
Sexual.

Ay poeta
Primero
Que nada
Me complace
Enormísimamente
Ser
Un buen
Poeta
De segunda
Del
Tercer
Mundo.

Desconcierto
A mis
Viejos
Maestros
De Marxismo
No los puedo
Entender,
Unos están
En la cárcel
Otros Están
En el poder.

Mandamento Equis
No
Desearás
La
Poesía
De
Tu
Prójimo.

Pues sí
Hablando
Se
Enciende
La
Gente.

Con pasión
Y así
Le dije
Con desolada
Y cristiana
Bondad:
            Desnúdate
            Que yo
            Te
            Ayudaré

Idiot box
Esta
Declaración
De amor
Imposible
Se destruirá
En cinco
Segundos

Luz, más luz
Es terrible
Pero
Cada día
Son más claros
Los intereses
Más oscuros

Ecología
De la
Ilusión
A la
Erosión
No hay
Más que
Medio
Siglo

Decisión
En vista
De lo cual
-58 años
Malignamente
Cumplidos-
De ahora
En adelante
Solamente lucharé
Por una
Soledad
Sin clases

Wednesday, June 05, 2013

Pindorama em Babylon

Quando minha digníssima expôs aqui em Babylon uma série de xilogravuras e outras coisas complicadas de explicar sobre o mesmo tema [Cidades Não-Planejadas/Unplanned Cities], havia uma peça interativa na qual as pessoas podiam de alguma maneira responder ao trabalho escrevendo ou desenhando pequenos comentários em pedacinhos de papel. Indianos, gregos, turcos, italianos ou pessoas que tinham ido a esses países reconheciam nessas paisagens urbanas partes de suas cidades natais.


Tuesday, June 04, 2013

Diários de Babylon ou não existe Leblon sem Rocinha

A Leblonização de São Francisco continua:

"São Francisco está se transformando em uma cidade sem classe-média. Bolsões de extrema pobreza em bairros como Filmore e Tenderloin, estão ficando cada vez mais isolados entre prédios de apartamento novos com preços exorbitantes. A população negra caiu de mais de 10% do eleitorado em 1970 a menos de 4% hoje - menos do que o necessário para encher os 40.000 assentos do A.T&T. Park, onde jogam os Giants. A população de latinos cresce em números muito menores que no resto da Califórnia."

George Packer, na New Yorker de 27 de Maio de 2013

Mas os pobres não evaporam; ao contrário eles se multiplicam, por exemplo, em favelas feitas com barracas em Sacramento:


Monday, June 03, 2013

Ela existe!

Propaganda de Mãe Duchampa ou Rrose Sélavy nas ruas da cidade
Rose Sélavy ou Mãe Duchampa

E maiores informações aqui.

Saturday, June 01, 2013

Postais do Inferno 6: Pecado

"... um pecado é inversamente proporcional...
... ao número de pessoas que se entregam a ele."
Dos diários de Witold Gombrowicz, 1953