Sunday, June 30, 2013

Postais do Inferno: Repetindo o óbvio há mais de 60 anos

"O poema não pertence nem ao crítico nem ao seu autor. 
O poema descola-se do seu autor no momento em que nasce 

Imagem minha: Mancha na Parede

e sai pelo mundo afora 
além do poder da intenção ou do controle do seu autor. 
O poema pertence ao público."
Trecho de "A Falácia da Intenção" de Wimsatt & Beardsley, 1946

2 comments:

Tudo de Novo Outra Vez said...

O poema é um perigo.
(tata)

Paulodaluzmoreira said...

A gente abre a boca e é um perigo, Tata. Já não nos pertence mais, noves fora a lei dos direitos autorais.