Tuesday, October 11, 2016

Big Food - A democracia no século XXI

Eles atendem pelo singelo nome de “Big Food”, uma indústria que monopoliza toda a comida que é plantada, criada, colhida, abatida, processada, empacotada e vendida nos Estados Unidos.

Na base “Big Ag”: basicamente um grupo seleto de produtores gigantescos de milho e soja [e outras “commodities”] mamando alegremente em subsídios generosos do governo americano e produtores de todo o aparato de sementes e agrotóxicos na base dessa indústria.

Big Ag ganha uma grana preta fornecendo ração para Big Meat, outro grupo seleto que “produz” milhões de cabeças de gado, galinhas e porcos, enfia eles todos dentro de fábricas/matadouros gigantescos e empacota milhões e milhões de quilos de carne e outras coisas carnívoras.

Aí vem mais um grupo igualmente seleto de empresas que processam com toda a ingenuidade química que produz sabores, cores, texturas e sabores de todos os tipos, empacotam e rotulam o que Big Ag e Big Meat produzem. Basicamente o milho vira xarope açucarado, a soja vira óleo e a carne vira hambúrguer.

No topo dessa jamanta enlouquecida estão os supermercados e as franquias de fast-food.

Quando quatro empresas controlam mais de 40% de uma indústria, diz que há uma concentração exagerada de poder econômico. Quatro conglomerados controlam 82% dos matadouros, 85% do processamento de soja, 62% dos pesticidas, 58% das sementes [antes da Bayern comprar a Monsanto] e 53% do processamento de frangos.

Lobbys poderosos com nomes portentosos representam essa jamanta enlouquecida: Grocery Manufacturers Association [processamento/embalagem/marcas], The North American Meat Institute [carne], The American Farm Bureau Federation [commoditys, The National Restaurant Association [franquias de fast food] e CropLife [pesticidas]. Eles todos se unem para garantir os subsídios e combater qualquer restrição ao seu direito de divino de empanturrar o público com açúcar, sal, óleo, carne processada e químicos. 

Investigações sobre abusos dos monopolistas são sumariamente engavetadas. Restrições [veja bem "voluntárias"] à venda de junk food às crianças e ao uso de junk food nas escolas viram piada com congressistas defendendo que pizza deveria ser considerado um "vegetable" por causa do molho de tomate. Fábricas de processamento animal horrivelmente poluentes são classificadas como "fazendas" e continuam a emporcalhar o meio ambiente impunemente. Limites ao uso de antibióticos no criação de animais continuam "voluntários".  

O resultado:

Fonte: https://www.cdc.gov/obesity/data/prevalence-maps.html

Toda essa obesidade se traduz em problemas crônicos de saúde: pressão alta, diabetes, problemas do coração. Sofrimento a granel e um monte de dinheiro gasto em tentar fazer sobreviver um monte de gente mal e porcamente. Por exemplo:







No comments: