Sunday, November 04, 2007

Apelo épico em defesa do empreendedorismo nacional

Deixem abrir as banquinhas de mercado:
são pasto hoje como foram antes pasto,
óleo azeitando a máquina do estado.
São baratas tontas, sonhando acordadas
com os frutos amargos do trabalho
cada vez mais inútil e cansado,
cada vez mais feio e desesperado
cada vez mais em si mesmo fechado.
Deixem abrir e deixem fechar,
pintem paredes e troquem telhados
dessa casa inerte e imprestável:
abençoados sejam todos os desocupados.
Mas tenham cuidado: o passado,
travestido de farsa, mora aqui ao lado.

1 comment:

Bona said...

Good post.