Wednesday, April 18, 2012

Decasia

[Música de Michael Gordon, filme de Bill Morrison, Decasia é um filme-concerto inspirado pelo Fantasia de Disney]


Decasia

a orquestra de cinquenta e cinco fúrias pulsavançatravancapita

pontuando festivosinistras a película do filme

que engole e regurgita as imagens

em seqüência de sonho mecânico:

o tear nervolento que roda na mão

a manivela que roda na mão do moço

o carrossel que roda a cada dez centavos,

a roda gigante de madeira que roda,

até que chega o dançarino asceta, rodando –

suspende a orquestra em massa em suspenso o mundo

e sobra o apito sibilante.

O dançarino sufi roda

com os braços abertos em êxtase em câmara lenta

roda a saia roda o braço do outro roda

roda roda roda roda a dor

é consolo de muita gente crer

que sofrer melhora a gente mas

o sofrimento não melhora a gente em nada

e é consolo de muita gente crer

que a dor quanto mais forte

por isso mesmo melhor e mais nobre

o sofrimento não melhora a gente em nada

e é consolo de muita gente crer

que termina mais resistente aquele

que sobrevive ao pesadelo

do sofrimento agudo intenso e duro

mas do meu lote todo até agora

só tirei esse poderzinho pífio

de reconhecer nos olhos dos outros –

no caixa do banco, no padeiro,

na professora do meu filho,

no meu irmão –

a mesma marca líquida que eu tenho

aqui no canto dos olhos,

a marca líquida da corda que estica

até que arrebenta

com os braços abertos em êxtase em câmara lenta.


E aí só resta esse mesmo corpo frouxo,

esses mesmos olhos moles,

e essa mesma corda elétrica solta no ar,

balançando e chiando a mesma nota surda.

roda a saia roda o braço do outro roda

roda roda roda roda a dor



4 comments:

Paulodaluzmoreira said...

No hay ejercicio intelectual que no sea finalmente inutil. Una doctrina es al principio una descripción verosímil del universo; giran los años y es un mero capítulo - cuando no un parráfo o un hombre - de la historia de la filosofia.
JLB

Anonymous said...

Ambos mto bons!

Paulodaluzmoreira said...

Obrigado, Anonymous! Pelo menos vc gostou.

MARIA FERNANDA MARQUES said...

olá. Envie um email sobre a texto que você escreveu para meu livro.

Obrigada! ;)