Saturday, February 23, 2008

A canção mais triste do mundo














Mal abre a boca o sujeito faz já
quatro coisas de uma vez:

primeiro fala sempre dele mesmo
e do lugar de onde ele vem;

fala também da vida que acontece
da boca pra fora,
esse lugar onde a gente nasce, vive e morre;

também mexe com quem escuta,
mas não pelo que se diz daqui
e sim pelo que se ouve lá
do outro lado
onde a gente nunca vai;

e finalmente borda
com som as letras,
com letras palavras,
e com sons, letras e palavras
um tipo de música sutil,
que às vezes transborda,
mas quase sempre não.

Mal abre a boca o sujeito.

2 comments:

Anonymous said...

docsmocsodcoj

Anonymous said...

como eh que eh esta estoria de um blog sem o outro lado, do amor?