Thursday, December 23, 2010

Umberto D, ou sem medo de ser infeliz...

Esse filme de Vittorio de Sica foi violentamente rejeitado na Itália na época em que foi lançado. Era 1952 e as misérias da Itália ninguém mais queria ver. O final do filme está aqui. De Sica disse que ainda que tenha comido o pão que o diabo amassou com o fracasso do filme, não o mudaria em nada, exceto as crianças que aparecem no final. Uma interpretação tocante de um professor aposentado que foi abordado no meio da rua e convidado a fazer o filme. Carlo Battisti pediu para passar em casa antes de ir se encontrar com De Sica e, de tão nervoso, colocou duas gravatas. Assim ganhou o papel.

2 comments:

MARIA FERNANDA MARQUES said...

Estava lendo o "Estrago de Minas" depois de passar os olhos naquelas paginas cheias de nada, resolvi visitar o seu blog...
Bem mais interessante! Adorei a presença de espírito.

Paulodaluzmoreira said...

Obrigado pela visita! O Estrago é mesmo um deserto de idéias, Maria Fernanda. Não dá pra entender como ninguém consegue fazer alguma coisa um pouquinho melhor na nossa terrinha...