Wednesday, July 13, 2011

Definição de literatura, ou o diabo mora nos adjetivos

Leyla Perrone-Moyses disfarça mas acaba tentando definir literatura na Folha de São Paulo no último Domingo:

"... textos escritos numa linguagem particular, que interrogam e desvendam o homem e o mundo de maneira aprofundada, complexa, surpreendente."

Bom, o diabo mora mesmo é nos adjetivos. Resta saber - para começar - o que significa exatamente "particular". Depois vamos a "aprofundado", "complexo" e "surpreendente"...

Se a literatura morreu ou está morrendo, deve ser uma daquelas intermináveis mortes de melodrama, quando o personagem do pai honesto mas pobre fazia um longo monólogo no leito de morte enquanto a mocinha segurava a sua mão e sutentava sua cabeça.
A melhor parte da "Ilustríssima" (que devia chamar-se mesmo "Caderno Magérrimo") foi o (particular, aprofundado, complexo e surpreendente?) poema de Ana Martins Marques, "O relógio". Não fosse essa última página, eu diria que quem está a beira de bater as botas são os cadernos culturais dos jornais de Pindorama...

2 comments:

Tata Marques said...

Eles já bateram as botas. Seus espectros agora cobrem televisão e músicos filhos de amigos do peito (vide o caso do Estado de Minas).

Paulodaluzmoreira said...

Tbm conhecido como "Estrago de Minas"...