Monday, July 18, 2011

Diário de Curitiba

1. A gente fica tentado a interpretar o que vê, mas de que vale um passeio cego pelo centro num par de horas? Gosto das calçadas de pedra portuguesa, dos prédios e casas mais ou menos antigos que não foram demolidos e estão bem cuidados, das ruas para pedestres, das pracinhas de interior, da gente na rua, dos velhos confabulando como na antiga praça 7, do português cantado e dos erres a maneira do Sul de Minas.
2. Minha Curitiba é uma sombra de Belo Horizonte: coisas iguais, coisas parecidas, coisas diferentes. Se Belo Horizonte tivesse tido um prefeito muito bom desde os anos 70, a cidade poderia ter um centro tão aprazível e bonito. Apesar disso o tom menor, de uma cidade que vive para si mesma e se esconde um pouco dos turistas vale para cá também, pelo menos nessa primeira caminhada no centro. Curitiba, como Belo Horizonte, não se entrega de bandeja ao turista acostumado a cidades turísticas que vivem de encantar visitantes.
3. Entro numa livraria - péssima - mas qual a probabilidade de alguém perambulando por Belo Horizonte encontrar a Fernandes Tourinho? O único livro sobre a cidade vai das curiosidades ["Curitiba significa um monte de araucarárias ou de pinhas"] a nonsense ["a colônia japonesa é famosa pelo seu folclore meigo"].
4. Trombo com uma exposição surpreendente de Botero sobre a violência na Colômbia e faço as pazes com os gordinhos do pintor. Caminho mais uns quatro quarteirões e encontro "Rico Pão", uma padaria/lanchonete honesta. Do outro lado da padaria onde como um misto quente vejo uma faixa pendurada na porta da "Madame Celine - Boutique Sensual" oferecendo um "Curso Deusa do Amor" e prometendo "encante com: pompoarismo, massagem sensual e strep tease."

5 comments:

sabina anzuategui said...

nossa, curitiba revela seus mistérios! (item 4)

- - -

sobre livros e escritores paranaenses, achei alguns interessantes na saraiva do shopping estação, enfrente à praça eufrásio correia, que também é bonita.

mas não sei se vale a visita... posso dar umas dicas depois, =)

sabina anzuategui said...

ops, em frente

Tata Marques said...

Curso "Deusa do Amor"! hahahaha... Eu quero!

Paulodaluzmoreira said...

Em tempo: o que é pompoarismo?

sabina anzuategui said...

pompoarismo, caso você ainda não tenha dado um google, é aquela técnica de comprimir o interior da vagina (canal vaginal?) com um cordão de bolinhas.

em geral são um pouco maiores que bolas de gude, unidas por um fio, como num terço. são umas cinco ou seis.

em teoria, a mulher que faz isso tem a musculatura interna mais forte e hábil, e conseguiria dar prazer ao homem com essas contrações.