Thursday, October 06, 2011

O santo e a fábrica de suicídios

Antes de escrever mais um epitáfio sentimental sobre Steve Jobs, pergunte-se: de onde saiu o seu bonito iPad e o meu lustroso iMac? Das mãos de gente que faz, em média, 120 horas extras mensais, trabalhando uma semana de 70 horas, ou seja 10 horas por dia o ano inteiro sem domingo ou feriado. O salário mensal: 250 reais, dependendo ainda da produtividade. Longe de casa, 300.000 trabalhadores comem e dormem na fábrica. Resultado: uma epidemia de suicídios. A fonte é o jornal CONSERVADOR Daily Telegraph...
Não se trata aqui de demonizar Steve Jobs ou a Apple, mas de dar contorno mais bem definido ao "milagre chinês" [não é por acidente que uso aqui o termo que se aplicou ao Brasil de Médici] e sua relação íntima com o "milagre tecnológico" da economia supostamente "pós-industrial" da . Somos um organismo esquizofrênico, de um lado caminhando a passos firmes no século XXI e do outro chafurdando no atoleiro do século XIX.

Não é irônico que os 300.000 chineses na fábrica da Foxconn trabalhem para manufaturar produtos para o sábio que disse, entre outras coisas, "Your time is limited, so don't waste it living someone else's life"?

11 comments:

Fred Selvagem said...

Que o milagre chinês está ancorado em um tipo de trabalho que, para os nossos padrões, pode ser considerado escravo não é novidade. Mas quando o Daily Telegraph apresenta esses dados sobre a "pequena" seção da Foxconn dedicada à produção da Apple (já que a empresa tem mais de 1 milhão de funcionários na China) ele talvez se esqueça de dizer o óbvio: a China produz praticamente tudo o que nós consumimos hoje em dia. E não há motivos para acreditar que os funcionários da Foxconn recebam um tratamento pior do que qualquer outro operário daquele país.
Na verdade, O presidente da Foxconn para as Américas - que eu conheci pessoalmente - admite que a taxa de suicídios é alta entre os funcionários chineses, mas, se serve de consolo, garante que ela está abaixo da verificada na população da China em geral. Se é verdade eu não sei, mas aqui no Brasil eles tem uma política de superar todas as exigências da legislação trabalhista e oferecer aos seus funcionários condições de trabalho e benefícios que estão acima da média praticada no país.
É claro que Jobs, Apple, e Foxconn não são santos. São apenas capitalistas se rendendo (por que hoje não há outra forma de produzir a preços competitivos) àquilo que o comunismo chinês tem de "melhor" para oferecer.

Paulodaluzmoreira said...

OK, Fred, os milionários estão "se rendendo" ao comunismo chinês... coitadinhos. Provavelmente vc acha que é tudo culpa dos sindicalistas malvados que ficam enchendo o saco deles em outras partes do mundo, né? O trágico da situação da Foxconn, meu caro, é justamente o fato de que eles não tem nada de especial. Mas nós devemos todos nos conformar, não é mesmo? Esse é o melhor mundo possível, não é? E se o caminho para a escola do Samuel agora fica com o trânsito ruim por causa da fila imensa de gente esperando pela distribuição de sopa grátis de manhã, o melhor a fazer é mudar o trajeto. Afinal, o mundo é assim mesmo e provavelmente são uns desocupados que só querem sopa grátis - porque eles não pegam um navio e vão trabalhar para a Foxconn na China?

Paulodaluzmoreira said...

E adorei também o "para os nossos padrões, pode ser considerado escravo"! Quer quiser então que a exploração é uma questão de ponto de vista? 10 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano EM MEDIA é uma questão de ponto de vista, né? Os chineses parecem com a gente - tem duas pernas, dois braços e tal - mas são diferentes, né? Eles gostam de trabalhar assim, como os árabes gostavam de ditaduras também, né?

Fred Selvagem said...

Pros meus padrões o trabalho é escravo. Pros padrões da americana Apple também. E, provavelmente é trabalho escravo até para os padrões da coreana Foxconn. Só que pro governo Chinês, claramente não é. Pra ele isso deve ser... sei lá... um grande modelo de desenvolvimento com justiça social e emprego para todos... ou a prova de que o comunismo é um regime que dá certo.
A Apple poderia boicotar o trabalho escravo chinês e produzir seus iPads na suécia, Canadá ou mesmo nos EUA pra ajudar a diminuir essa fila da sopa aí? Podia, claro. Mas e se a Samsung e a Motorola não fizessem o mesmo?
Tudo bem, e se todas as empresas decidissem praticar o capitalismo com consciência social e boicotassem juntas o trabalho escravo chinês? O próprio governo da China produziria seus tablets genéricos a 10 reais, inundaria a 25 de março com essa bosta e, como diria Raul, Vamo ver agora quem é que vai guentar! Ninguém aguenta. Mesmo que os milionários do mundo fossem todos bonzinhos (e não esses gigantes Piamãs que só vivem para roubar as Muiraquitãs do povo oprimido) não haveria alternativa se não "se render" sim. Você tem um iPad? Se rendeu. Tem uma porcaria de celular com teclinha e sem câmera igual ao o meu? Se rendeu também.
Enfim, o que eu estou querendo dizer desde o início é que se o governo chinês decidiu que o ápice do sucesso do comunismo é fazer com que o seu povo carregue no lombo a sociedade de consumo do resto do mundo inteiro não há nada que Apple, Foxconn ou quem quer que seja possa fazer. E não adianta a gente ficar tirando essa onda de burguês culpado que compra tudo o que é produzido na China (porque TUDO é produzido na china) e depois sai por aí reclamando das injustiças sociais, da crise econômica e da fila da sopa pra limpar a consciência.
Por mais que eu ache o trabalho escravo uma coisa horrível (e acredite: eu acho!), se eu não puder fazer nada pra mudar a realidade da china, como por exemplo parar de comprar... tudo... ou protestar na praça vermelha, então o melhor que eu tenho a fazer é me conformar mesmo. Não vou assumir a culpa - nem mesmo um pouquinho - pelas fidaputagens feitas pelo governo da China. Ainda que um operário chinês tivesse cortado os pulsos e sangrado até a morte em cima do meu Compaq made in Foxconn, eu não assumiria. Essa culpa também não é do Steve Jobs ou da Apple. É única e exclusivamente da porcaria de governo tirânico que comanda aquele país.

Fred Selvagem said...

PS: Sindicalistas malvados também não tem culpa pelas fidaputagens do governo chinês. Mas que eles enchem o saco no mundo inteiro, isso eles enchem! Menos na China, já que lá eles têm a democrática e popular "Política Bala na Nuca de Solução de Questões Trabalhistas".

PS2: Não entendi como a fila da sopa e as ditaduras árabes vieram parar no meio dessa história.

Paulodaluzmoreira said...

É vc tem razão, Fred. A culpa dos males do mundo é o comunismo... Mas peraí, a fábrica da Foxconn fica em Taiwan! Taiwan não é o único lugar em que os chineses respiram o glorioso ar da liberdade capitalista?! Agora eu fiquei confuso...

Fred Selvagem said...

Que é isso? O Capitalismo selvagem é que é culpado pelos males da China... pelo trabalho escravo, pelos tiros na nuca, a censura na internet, o desequilíbrio ambiental... tudo! O governo popular e democrático é que foi obrigado a se render a esse modelo de desenvolvimento que o próprio capitalismo abandonou no final do século IX. Mas nada disso é culpa dele não, viu? É da gente que compra iPod.
A Foxconn foi criada em Taiwan na década de 70. Hoje ela tem um milhão de fun... escravos na China e 300 mil funcionários em outros 13 países do mundo (6 mil no Brasil). É isso aí, nos países capitalistas ela tem funcionários. Escravos é só na China mesmo.

Fred Selvagem said...

Errei o nome do século XIX. Desculpe.

Paulodaluzmoreira said...

Os suicídios são em Taiwan, Fred. TAIWAN. Foi vc mesmo que insistiu que o problema era a China comunista, que aliás de comunista só tem o nome. Repressão, censura e violência do estado não são monopólio de comunistas, não. De qualquer maneira, vc visita o blogue mas ainda não se acostumou com meu estilo - leia de novo o post e vai ver que eu não culpei ninguém de nada. Inclusive falei no MEU iMac. De qualquer maneira, parabéns pela sua determinação em não se sentir culpado de nada nunca. Realmente vc, Jobs e os donos da Foxconn são todos vítimas dos comunas e não têm nada a ver com isso.

Fred Selvagem said...

Bom, agora eu estou me sentindo culpado por ter te deixado meio puto (ou muito puto talvez). Por isso vou te pedir desculpas sinceras. Você tem razão. acabei levando a argumentação para um lado que não estava nem esboçado no seu post inicial e falando de coisas que, agora vejo, você nem tinha a intenção de discutir. Foi falta de noção da minha parte. Me desculpe mesmo, por favor.
Abraço.

Paulodaluzmoreira said...

Que é isso, Fred! Vc é a alegria desse blogue, meu chapa! Jesus, se a gente não puder bater boca aqui de vez em quando, é o fim do mundo. Vc e a Quel tem uma cobertura com piscina no meu coração, meu chapa, e não há Jobs ou Foxconn que abale nossa amizade!