Monday, January 30, 2012

East Haven, Cracolândia, Pinheirinho, show da Rita Lee

Quatro policiais em East Haven [cidade vizinha a New Haven] foram presos pelo FBI semana passada. O motivo era a violência e intimidação gratuita desses policiais contra os latinos da cidade e as tentativas de calar os que protestaram contra essas atitudes. Disse o diretor responsável pela operação:


“The four police officers charged today allegedly formed a cancerous cadre that routinely deprived East Haven residents of their civil rights. The public should not need protection from those sworn to protect and serve. In simple terms, these defendants behaved like bullies with badges.”


Até quando os policiais brasileiros vão ser aplaudidos por fazerem exatamente isso? Vou traduzir o miolo da declaração: “o público não deve precisar de proteção contra aqueles que juraram protegê-lo e servi-lo.”

Eis o vídeo do momento no show da Rita Lee em que ela “desacata” os policiais:





Em vista das manifestações na internet de que “maconheiro tem que apanhar” reafirmo aqui uma coisa, para mim óbvia: a polícia não tem direito de bater em NINGUEM. Nem em maconheiro, nem em traficante, nem em estelionatário, nem em proxeneta, nem em prostituta, nem em assaltante de banco, nem em batedor de carteira, nem em fumante, nem em travesti. Estejam certos ou errados, gostem ou não do que eles fazem, a polícia não tem o direito de abusar da força com ninguém. NINGUEM.

O Brasil pode crescer 5000% e virar a maior economia da via láctea; enquanto as pessoas não entenderem que a polícia não foi feita para dar cascudos em “quem está errado” e enquanto nós não tratarmos o problema do abuso da autoridade e da violência policial com a seriedade que ele tem, não adianta nada.

Viciado ou traficante na Cracolândia, morador ou manifestante no Pinheirinho, maconheiro ou não no show de Rita Lee; NINGUEM pode sofrer abuso policial. Recebidos com flores, baforadas ou pedradas, a polícia não tem direito de bater, xingar, empurrar, intimidar, torturar NIGUEM. Ela já tem o direito de prender – desde que a partir de um motivo justo – e isso, convenhamos, já é muito. A ditadura militar precisa acabar de vez ou o período democrático brasileiro é uma piada sem graça.

3 comments:

José Roberto said...

Prezado Paulo,
Perfeito seu comentário! As reações quanto ao episódio da Rita Lee estão variando muito, apesar do tom preconceituoso das críticas quanto à postura dela. Como todo fato tem 3 versões, a minha, a sua e a verdadeira, neste link http://oglobo.globo.com/pais/moreno/ temos a versão do governador Marcelo Déda quanto ao caso. Particularmente acho que houve exagero de todas as partes.

Paulodaluzmoreira said...

A filmagem infelizmente não mostra o que é que os policiais estavam fazendo que incomodou tanto a Rita Lee e aí fica difícil a gente julgar o caso em si. O que tem me chamado a atenção não é o caso em si, mas é a reação de muita gente, uma reação infelizmente muito comum no Brasil, que de "X tem mesmo é que levar porrada", sendo X alguma figura que não agrada a quem emite a opinião. Seja X o que for, inclusive figuras que eu desprezo e mesmo odeio, nem a polícia nem ninguém pode dar porrada nelas nem em ninguém. Acho inclusive que muita gente participa dessa conversa engajado num determinado interesse partidário - não estou de jeito nenhum dizendo que é o seu caso ou mesmo o do Moreno - e usam critérios contraditórios de avaliação para cada notícia.
Obrigado pela visita!

José Roberto said...

Perfeito novamente! Como eu tentei dizer em meu comentário as reações contrárias à atitude da Rita Lee não tem nada de analisadas, são em sua maioria preconceituosas, reacionárias e violentas. Gosto muito de seu blog e principalmente com suas análises que fogem do comum. Parabéns!