Wednesday, February 25, 2015

Esse tal de roquenrrol

Gosto de música nova, feita agora. Fico sempre impressionado com amigos e conhecidos que pararam no tempo e seguem escutando as mesmas coisas de quando eram adolescentes. Enfim, entendo a impaciência com o novo em música popular, principalmente quando esse novo se trata de uma versão requentada do velho, versão requentada que só impressiona mesmo quem nasceu semana passada. Mas o novo guarda ótimas surpresas, basta saber procurar. Nesse campo de coisas novas faz muito tempo que esse tal de roquenrrol não me interessa muito, exatamente porque grande parte dele fica reiterando coisas velhas com uma pose de revolta cada vez menos espontânea.
Bom, mas nem tudo é chatice no tal de roquenrrol de hoje em dia [relevando é claro o fato de que a banda em questão tem mais de 10 anos, mas a música em questão acabou de ser lançada por elas depois de um longo hiato em que uma delas ficou bastante conhecida pelo programa de humor Portlandia]:



A New Wave
Sleater-Kinney

Well every day I throw a little party
But if it would be more fitting, fitting
And every time I come a little higher
Should I leap or go on living, living?
Hear the voices venomous and thrilling
In their hair, they're always calling, calling
But I wanna, gotta go the way my butt beats
So I'm not falling for the folly, folly

No one here is taking notice
No outline will ever hold us
It's not a new wave, it's just you and me
Eyes are the only witness
Die to prove we ever lived this
Invent our own kind of obscurity

Let's destroy a room with this love
We can drain out all the power, power
Steal from the makers who had made us
Leave them nothing to devour, devour

Well, I am raw material
Make me plastic, make me fuel
I can be, I can be
I can be all

No one here is taking notice
No outline will ever hold us
It's not a new wave, it's just you and me
Eyes are the only witness
Die to prove we ever lived this
Invent our own kind of obscurity

No one here is taking notice
No outline will ever hold us
It's not a new wave, it's just you and me
Eyes are the only witness
Die to prove we ever lived this
Invent our own kind of obscurity

Não vou negar que ter uma filha me faz ficar mais feliz com uma banda como Sleater Kinney, composta de boas instrumentistas e compositoras criativas que não ficam imitando as Gretchens da vida nos vídeos delas. Claro que minha filha continua adorando Kate Perry e Taylor Swift, mas ela só tem 6 anos e eu não sou dono dos gostos de ninguém. Mas Sleater Kinney está aí e, se ela gostar desse tal de roquenrrol quando chegar a hora, elas estão aí!
Quem quiser conhecer melhor a banda:

2 comments:

Anonymous said...

Basicão do Bão. Também gosto muito. rs
(Tata)

Paulodaluzmoreira said...

Pois é, sem muita frescura, mas com honestidade e energia.