Wednesday, June 23, 2010

Recordar é viver: profetas da raça

[Ilustração: flagrante de uma nação de guerreiros mostra crítico que, na falta do autor, é flagrado bem no ato de dar um pontapé desleal no livro do coitado]

Há quem ache que a Veja inventou alguma coisa. Murros e pontapés são coisa antiga Pois veja o que aconteceu há mais de 50 anos, em outubro de 1958: a revista Leitura trazia uma singela reportagem entitulada “Escritores que não conseguem ler Grande Sertão -: Veredas..”

Lá estavam entre outros Adonias Filho, à direita, quase ameaçador, dizendo que Grande Sertão: Veredas, “apesar do interesse que possa oferecer constitui um equívoco literário, que necessita ser imediatamente desfeito”. e, à esquerda, Ferreira Gullar chutando de canela e dizendo que o romance era “uma história de cangaço contada para lingüistasthey were simply “a futile exercise for philologists”.

No comments: