Thursday, February 14, 2013

Dia dos namorados [em Babylon]

-->
Come, sweet rain
Frank O’Hara

The blueness of the hour 
when the spine stretches itself
into a groan, then the golden cheek 
on the dirty pillow, wrinkled by linen.
Odor of lanolin, the flower
pressed between thundering doubts of self, 
cleaving fresh air through the week 
and loading hearts to the millennium. 
Go, sweet breath! come, sweet rain,
bewildering as a tortoise 
embracing the Indian ocean,
predictable as a porpoise
  diving upon his mate in cool
  water which is not a pool.

Amor também é cultura: esse é o lanolin, uma espécie de cera tirado das ovelhas. Minha esposa salvou-se de rachar a pele muitas vezes com um produto feito com ele. Tem cheiro... de cera de abelha sem cheiro de mel.

Bewildering as a tortoise!




Amor também é cultura: esse golfinho cabeçudo se chama [em inglês] Porpoise!


Outro poema campeão, de Murilo Mendes, perfeito para o dia:


Cantiga de Malazarte
Eu sou o olhar que penetra nas camadas do mundo,
ando debaixo da pele e sacudo os sonhos.
Não desprezo nada que tenha visto,
todas as coisas se gravam pra sempre na minha cachola.
Toco nas flores, nas almas, nos sons, nos movimentos,
destelho as casas penduradas na terra,
tiro os cheiros dos corpos das meninas sonhando.
Desloco as consciências,
a rua estala com os meus passos,
e ando nos quatro cantos da vida.
Consolo o herói vagabundo, glorifico o soldado vencido,
não posso amar ninguém porque sou o amor,
tenho me surpreendido a cumprimentar os gatos
e a pedir desculpas ao mendigo.
Sou o espírito que assiste à Criação
e que bole em todas as almas que encontra.
Múltiplo, desarticulado, longe como o diabo.
Nada me fixa nos caminhos do mundo.

Poemas, 1925-1929

4 comments:

Tudo de Novo Outra Vez said...

Maravilhoso o poema do Murilo Mendes.
Mas, sobre o igrêis, tô estudando há tanto tempo e sempre não sei o que mais importa para entender as coisa! Aiai!, Google Tradutor que me salva e me condena!

Paulodaluzmoreira said...

O do Murilo é um dos meus favoritos. O outro eu também tive que aprender um bocado - nem sei que nome esse bicho que eu chamei de "golfinho cabeçudo" tem. Enviei, idioma, quanto mais a gente aprende mais percebe que tem que aprender muito mais!

Anonymous said...

Hello. And Bye. Thank you very much.

Anonymous said...

Hello. And Bye. Thank you very much.