Thursday, May 12, 2016

Viagem no tempo: tentando por aspas em golpes de estado

Fernando Lugo
"... acá en mi país hubo un cambio de guardia en forma absolutamente normal, constitucional, ajustada a las leyes...  esta transición se hizo a través de un procedimiento constitucional y legal."
Federico Franco em entrevista a jornal argentino em junho de 2012. Franco era vice-presidente e assumiu após a derrubada do presidente Fernando Lugo no Paraguai. Investigado desde 2015 por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e enriquecimento ilícito




Manuel Zelaya
"O mundo inteiro está contra nós, e tudo o que fizemos foi nos livrarmos de um mau presidente."
Manuel Acosta Bonilla em declaração a repórter da The New Yorker em novembro de 2009 sobre o golpe que tirou o presidente Manuel Zelaya do poder em Honduras. Acosta Bonnilla é político e foi ministro em vários governos hondurenhos, sendo o atual representante do país na ONU.




“Não há exagero em afirmar que o novo governo se instala num clima de simpática expectativa e saudável confiança.”
“… o novo presidente deu ao país mais uma razão de confiar em que prosseguiremos no bom caminho percorrido até aqui e que nos há de conduzir a dias ainda melhores” 

Folha de São Paulo, editorial de 30 de outubro de 1969, quando da posse do General Médici 




João Goulart
"PLEASE accept my warmest good wishes on your installation as President of the United States of Brazil. The American people have watched with anxiety the political and economic difficulties through which your great nation has been passing, and have admired the resolute will of the Brazilian community to resolve these difficulties within a framework of constitutional democracy and without civil strife.
The relations of friendship and cooperation between our two governments and peoples are a great historical legacy for us both and a precious asset in the interests of peace and prosperity and liberty in this hemisphere and in the whole world. I look forward to the continued strengthening of those relations and to our intensified cooperation in the interests of economic progress and social justice for all and of hemispheric and world peace."
Mensagem do dia 2 de abril de 1964 do presidente dos Estados Unidos Lyndon Johnson a Ranieri Mazzilli, que substituía o presidente deposto João Goulart 



"Vive a Nação dias gloriosos. Porque souberam unir-se todos os patriotas, independentemente de vinculações políticas, simpatias ou opinião sobre problemas isolados, para salvar o que é essencial: a democracia, a lei e a ordem." 
Editorial do jornal O Globo em 2 de abril de 1964

2 comments:

sabina anzuategui said...

Que dureza.

Paulodaluzmoreira said...

Acho que para a nossa geração esse momento de golpe institucional tem sido revelador, porque a história do golpe de 64 e do que aconteceu depois foi sempre muito distorcida pelas posições que foram sendo tomadas depois, por exemplo, a partir de 68 ou a partir da crise econômica no governo Figueiredo. Retrospectivamente, as pessoas foram limpando e corrigindo suas posições anteriores e ficou a ideia de que os militares sozinhos tramaram a coisa toda e tomaram o poder sozinhos. Tristemente revelador.