Saturday, August 13, 2011

Fúria, imersão, fogo

O que eu quero é escrever ininterruptamente, e com tal fúria, tal imersão, tal fogo, que mesmo me esqueça da vida, até de que sou Guimarães Rosa, e de que exista algum Guimarães Rosa.

Guimarães Rosa, 1954, um dia depois de escrever a página 219 de Grande Sertão: Veredas

2 comments:

sabina anzuategui said...

uau.

Paulodaluzmoreira said...

Uma carta emocionante, Sabina. GR explica como "Veredas Mortas", que era para ser outro conto longo de Corpo de Baile, "fugiu" de controle e começou a inchar, inchar...