Monday, November 25, 2013

Poesia minha: "depois"


Foto Minha

depois

Singing "hard times ain't gonna rule my mind
Hard times ain't gonna rule my mind, Bessie
Hard times ain't gonna rule my mind no more"

depois do desastre
cada novo passo
fica deslocado
tempos alterados
ponteiros cansados
tropeçam segundos
arranham as juntas
vacilam os músculos

depois do dilúvio
nos dias de luto
a água evapora
a lama em pó
levanta embora
as fibras se afrouxam
as rugas se mostram
madeira e papel
já não topam peso
a tinta não pega
e ai de quem teima
rasga e arrebenta
os restos que ficam
os últimos ritos
aquilo que explica
o que foi perdido
e o recebido

desenho do nada
pão da minha páscoa
colar de distúrbios
um poço sem fundo
caminho de volta
o centro do nó
curral de espelhos
varal de desejos
a mão do meu filho
um copo de fim

2 comments:

Tudo de Novo Outra Vez said...

nossa, que triste.
(tata)

Paulodaluzmoreira said...

É pós-triste, Tata. Faz parte de uma longa reflexão [obsessão] sobre os desastres depois dos desastres.