Friday, May 23, 2014

"A troca incessante de canais" como estética


Tá no Ar a TV na TV - Episodio 1 by AdneTRIP


"Even when the museum uses video and television programming in supplementary and didactic ways, it offers an alternative to channel flicking that is grounded in the materiality of the exhibited objects and in their temporal aura." [33] 

"... buried under the rubble of a discourse textuality that proceeds increasingly according to the laws of channel flicking" [64-65]

"... fantasies of omnipotence: channel-flicking as the contemporary strategy of narcissistic derealization."

Traduzido por Sérgio Alcides [que está passando um semestre aqui em Yale] como "troca incessante de canais", o termo aparece três vezes no livro Twilight Memories: Marking Time in a Culture of Amnesia de Andreas Huyssen, que ganhei do meu irmão Pedro há um tempão mas que só terminei de ler hoje, me preparando para escrever um texto sobre a memória do período da ditadura e adaptações de livros escritos por ex-prisioneiros da repressão no cinema brasileiro contemporâneo. Mas não pude parar de pensar no "Tá no Ar" da Rede Globo, um programa inteiro baseado nessa tal "troca incessante de canais".

2 comments:

Anonymous said...

Pra vc ver como eu estou desatualizada, ainda não tinha visto esse programa do Adnet. Gostei. Lembra o Furo MTV, com a Calabresa e o Bento.
Gosto dos ex-MTVs (a emissora dos ovos de ouro - era o slogan deles um pouco antes do fim).
Tata

Paulodaluzmoreira said...

Eu vou assistindo assim, na medida em que a internet me permite. É um programa louco, principalmente porque com o tempo vc vai percebendo que umas coisas que só aparecem 3 segundos num programa acabam sendo desenvolvidas num esquete completo alguns programas depois. É uma coisa que puxa pela memória de quem acompanha o programa, pela memória.