Sunday, November 02, 2014

Postal: Clarice Lispector me matou

Arte Minha: Auto-Retrato

"A morte é um encontro consigo.
Deitada, morta, era tão grande como um cavalo morto.
O melhor negócio é ainda o seguinte:
não morrer, pois morrer é insuficiente,
não me completa, 
eu que tanto preciso.

Macabéa me matou."
Clarice Lispector, trecho de A hora da estrela

8 comments:

Tudo de Novo Outra Vez said...

Quem tem medo de Clarice Lispector?

Paulodaluzmoreira said...

Olha, na minha opinião Clarice Lispector é perigosíssima. Um daqueles cachorros que mordem em silêncio. E pulam na jugular. Às vezes acertam no nariz ou na sobrancelha da vítima, mas miram sempre no pescoço.

Tudo de Novo Outra Vez said...

Perigosos somos nós, Clarice só faz tornar este fato inegável.

Tudo de Novo Outra Vez said...

Aliás, essa é a graça (na minha opinião).

Paulo Moreira said...

Concordo: gente em geral é um trem que não presta, Tata. O problema é que eu sou um homem medicado para não pular da ponte no Quinnipiac gelado [tenho dois filhos pra criar], então Clarice Lispector é uma coisa bem perigosa no meu caso. Agora amanhã à tarde eu tenho que dar aula sobre ela, então não tem escape!

Tudo de Novo Outra Vez said...

Entendo. Passei uns anos fugindo de música e literatura. Parei eu mesma de fazer canção com medo do resultado delas nos outros. Ou seja, boa sorte na aula.

Paulo Moreira said...

Eu conversei com os alunos sobre a galinha e o búfalo [dos contos de mesmo nome no Laços de Família] como dois extremos opostos: um ser que só consegue ser sem fazer nada a ninguém e um ser que é puro ódio. Macabea é a galinha e o narrador [incluindo aí Clarice] é um búfalo. Aí os alunos ficaram impressionados com aquela última entrevista [eu passei a parte em que ela fala sobre A hora da estrela]. E eu disse, pois é: Clarice sabia escrever sobre galinhas mas ela sabia ser búfalo também!

Tudo de Novo Outra Vez said...

No Lustre a galinha e o búfalo são, provavelmente, a mesma pessoa: Virgínia. Ela ama tanto que odeia amar, porque sabe que vai perder o que ama. Então se afasta, e se afastando, morre. Prefere perder a si mesma do que perder seus amores.