Friday, January 02, 2015

Poesia: 31 Caminhos de Hilda Hilst

"O sinuoso caminho que persigo: um desejo
Sem dono, um adorar-te vívido mas livre."

"Há o caminhar um descaminho, um arrastar-se
Em direção aos ventos, aos açoites
E um único extraordinário turbilhão."

"Passeio meu caminho de pedra, leite e pêlo."

"Como se o sol e o rosto caminhassem
Porque vinha de um a luz do outro."

"De grossos muros, de folhas machucadas
É que caminham as gentes pelas ruas."

"Perco meu passo nos caminhos de terra
E de Dionísio sigo a carne, a ebriedade."

"Caminho junto às cercas, cuidadosa
Na tarde de queimadas, tarde cega."

"Vou caminhando tuas costas."

"Que caminhadas! Que sangramento de passos!"

"Sou muito pálida
Porque muito caminhei
Nas escurezas, no vício
De perseguir uns falares
teus indícios."

"Vida da minha alma:
Recaminhei casas e paisagens
Buscando-me a mim, minha tua cara."

"Cadentes teu passo e o meu
Temos a marcha de dois caminhos
De pêlo e breu."

"Um grande girassol
Explodindo entre as rodas

Imagens de mim
Na caminhada."

"Insensatez e sombra.

Foi o que se apossou de mim
Quando sonâmbula
Amoldei meus pés ao teu caminho."

"Como se o corpo soubesse
Desses caminhos da sede
Porque nasceu conhecendo
Da paixão seu descaminho."

"Eu era parte da noite e caminhava
Adulta e austera
Sem luz e aventurança."

"Passeia minha sombra e ilusões
Pelos mesmos caminhos, os antigos,
E sonha-me como se tomasses
No fulgor da carne
Tua primeira amante proibida."

                        "[...]caminhei
A chama dos caminhos"

"Se sussurrares
Teu nome secreto
Nos meus caminhos
Entre a vida e o sono

Te prometo, morte,
A vida de um poeta. [...]"

"Deleitosa, caminho até a montanha
E tu te fechas, tíbio, pesadas anteportas
Emergem do passeio a que me obrigo."

"Uma viagem sem fim, Túlio, eu te proponho
Um percorrer o mundo, vagaroso, uns caminhares
Largos, entre a montanha e o vale, e acertos
Entre nós dois, nós viajores, nós repensando
Os rios,
E um campo de papoulas nos tomando, um frêmito
Luminoso,
Agudos, inquietantes no entender dos outros,
Lúdicos como convém a cálidos amantes."

"Ávidos de ter, homens e mulheres
Caminham pelas ruas. [...]"

"Serão leves as límpidas paredes
Onde descansareis vosso caminho?"

"Com esse caminhar que em sonho se percebe"
"E ombro a ombro seguimos a alameda
Casco de dor num caminho de sol"

"O caminho de dentro
é um grande espaço-tempo."

"Uma torre contigo caminhava."

" Tinhas o caminhar dos animais,
Espaçado e perdido."

"Desde sempre caminho entre dois mundos"

"Tão leve caminhei sobre essas águas
Que a memória foi quase imerecida."

"Nave
Ave
Moinho
E tudo mais serei
Para que seja leve
Meu passo
Em vosso caminho."

"Serei o caminho
a boca aberta
os braços em cruz
a forma."

No comments: