Wednesday, January 07, 2015

Sobre o passado

Chael Charles Schreier é o número 87 [na ordem cronológica] da lista de 434 mortos e desaparecidos políticos no Brasil entre 1946 e 1988. É fácil conhecer a sua biografia. Ele nasceu em 1946 e morreu em 1969.  

Bem mais difícil é conhecer a biografia das cinco pessoas que mataram torturando barbaramente Chael Charles Schreier, história bem conhecida. Na mesma seção estavam Antonio Roberto Espinoza e Maria Auxiliadora Lara Barcellos, que cometeu suicídio na Alemanha em 1973 aos 31 anos. 

Muita gente estava lá, mais de dez, mais eram cinco militares oficialmente envolvidos: 
João Luiz de Souza Fernandes e Celso Lauria, capitães do CIE. 
Ailton Joaquim, tenente e Paulo Roberto de Andrade e Atilio Rossoni, sargentos na 1ª Companhia da PE.

•Ailton Joaquim recebeu a Medalha do Pacificador em 1970 e morreu em 2007 aos 65 anos.  Em 71 já tinha sido promovido a capitão, me informa o Diário Oficial daquele ano. Aos 27 anos, de microfone e retroprojetor deu aula de tortura para seus colegas usando dez presos/cobaias. 

•Celso Lauria nasceu em 14 de março de 1936 no Rio de Janeiro. Foi reformado capitão. Foi à Comissão Nacional daVerdade no dia primeiro de agosto de 2014 e se recusou a responder a quaisquer perguntas. Formou-se na turma Floriano Peixoto de aspirantes a oficial da cavalaria em 1960. Encontro lá uma fotinha dele, possivelmente no ano da formatura.

•Ailton Joaquim morreu em 2007 aos 65 anos. 

•Atilio Rossoni foi reformado já em 1973. Nada mais encontrei. Nem trocando o Rossoni por Rossone. 

•Paulo Roberto de Andrade tem um nome completamente comum: pode ser o dono do Boi Gordo ou o filho do bicheiro Castor de Andrade? Acho improvável. O jornal O Dia nos conta que em 2009 um "policial civil aposentado Paulo Roberto Nascimento" de 61 anos atirou duas vezes contra o motorista de ônibus Carlos Andrade Oliveira, de 30 anos, na altura da Estrada do Portela, em Rocha Miranda, Zona Norte do Rio, após um desentendimento depois que o motorista se recusou a deixar o tal Paulo Roberto descer sei lá onde. Será?

• Mesmo problema tenho com João Luiz de Souza Fernandes, mas consigo achar coisas plausivelmente dele: consta como formando em 1960 na Escola de Equitação do Exército. O Diário Oficial de 31 de dezembro de 1970 nos informa que a Secretaria Geral do Exército exonerou o tal João Luiz de uma tal "subcomissão de hipismo". Nem meu mais delirante otimismo consegue imaginar que isso tenha sido punição pelo que ele fez com Chael, Roberto e Maria Auxiliadora.

Todos os cinco livres e completamente impunes, viveram ou ainda estão vivendo num confortável anonimato. Nem o Lauria, que foi convocado à Comissão da Verdade, tem uma fotinha que seja, caladinho na frente do microfone, já que ele se recusou a falar. Talvez ele nem tenha ido. 

João Luiz de Souza Fernandes, Celso Lauria, Ailton Joaquim, Paulo Roberto de Andrade e Atilio Rossoni, sargentos na 1ª Companhia da PE.Livre e completamente impunes pelo resto da vida depois de massacrar pessoas covardemente com as torturas mais abjetas possíveis. 
De pijama no domingo lendo um jornalzinho e tomando café na sala de chinelos depois de tudo isso.
Beijando os netinhos e vendo jogo de futebol. 
Contamos com quem para castigar esses sujeitos pelo que fizeram? O destino ou Deus, que se existir é um doido que dá câncer a crianças de cinco anos que não fizeram nada e não faz nada, nem uma dorzinha de dentes crônica, contra um sujeito contra Hitler? 

Antonio Roberto Spinoza em 2009

No comments: