Friday, April 10, 2015

Um trecho da minha aula sobre cinema contemporâneo, ilustrado



Nessas comédias de grande sucesso o protagonista branco macho é um sujeito em fuga, fugindo dos confrontos do casamento e da responsabilidade e resistindo às exigências da vida adulta. As estratégias de evasão dessa vida adulta determinam temas e forma desse cinema “meninão,” no qual abundam relação homoeróticas [superficialmente assexuadas]. É bastante comum que essas comédias terminem melancolicamente, forçando os comediantes meninões a aceitar, com relutância, o casamento e a paternidade. Como consolo os filmes propõem a possibilidade do contrabando de certos comportamentos e afetos adolescentes ou mesmo pré-adolescentes para dentro dos relacionamentos com personagens femininas que assumem os estereótipos de esposas pacientes e mães gentis. A melancolia vem da obrigação de aceitar valores familiares tradicionais depois de passar 90 minutos afirmando enfaticamente que a verdadeira felicidade se encontra num estado permanente de retardamento emocional.

Texto escrito originalmente em inglês para uma aula, que chamo de "Homens à beira de um ataque de nervos," no meu curso sobre cinema contemporâneo. 

3 comments:

Daniel said...

Ei Paulo!!
sem querer te explorar, mas já explorando... tem como cê me mandar a lista do referencial teórico (ou o programa da disciplina)?
fiquei curioso com a proposta
:)
abração

Paulodaluzmoreira said...

Você diz essa de cinema, Daniel?

Daniel said...

isso, esta mesma!
:)