Thursday, May 07, 2009

Poesia Minha: Profecia

Profecia
A noite há de remendar
o que o dia arrebentou
e remendar e arrebentar
outra vez, amanhã e depois
e assim dia e noite,
em sucessão finita,
alheios a qualquer um de nós
até que o sol, velho e cansado,
finalmente se apague de vez
e só reste então
a lua, pequena e fria,
muda, sozinha,
em seu humilde trajeto amoroso
em volta da terra escura,
dois astros enfim sós,
enfim livres de nós.

6 comments:

Tata Marques said...

Gostei muito.

Maria Fernanda said...

acho q da música!
eu sei q pode ser uma música linda, se assim acontecer...

sabina anzuategui said...

bonito mesmo. li ouvindo a música da bethania no blog da julia; combinou.

mas... não poderia ter um titulo mais doce? profecia me lembra religião; é uma palavra de que não gosto.

(ah, estou sempre dando palpite... ;)

Paulodaluzmoreira said...

Os palpites são sempre bem vindos, Sabina. O título vem de uma frase que ouvi ou li nem sei bem onde que dizia que qualquer poderia profetizar [dizer alguma coisa que aconteceria no futuro] o fato de que cada um de nós vivo hoje vai morrer um dia. Parece que essa história do sol ir perdendo a energia é verdade [não sou cientista por isso digo "parece"] e que quando isso acontecer a vida deste planeta vai toda para o saco. Daí a minha "profecia"...

Quel said...

Muito legal esse poema. Me fez ficar pensando, pensando... Estou desde ontem com ele na cabeça, por isso resolvi escrever. Acho que dava uma música, sim.

Paulodaluzmoreira said...

Oi, Quel, que saudades! Abraço para o Fred, que tbm anda sumido...