Friday, May 15, 2015

Poesia minha: Intraduzível

Intraduzível

Encerrado no claustro da leitura,
flutuando entre três tristes línguas,
não sinto conceito
sem sentir palavra
e não sinto palavra
sem sentir caminho.

Palavras tocando
o tambor dos tímpanos
até o coração sentir-se
prensado na boca
e caminhos que convergem
ou bifurcam, dependendo
do sentido do moinho
que me rói de fora para dentro.

Qual o sentido das palavras e caminhos
que me cabem e não cabem em mim?

Senso e sentido
flutuando em três línguas
me consomem por dentro
desse claustro que me engole.
Não sinto conceito
sem sentir palavra
e não sinto palavra
sem sentir caminho.

E sou, confesso, feliz.


No comments: