Friday, July 18, 2014

Postal: Exercer autonomia

Pablo Picasso, "Cabeça de mulher", 1927
Uma das formas de exercer autonomia
é possuir um discurso sobre si mesmo.
Abertura do livro Tornar-se Negro de Neusa Santos Souza 

5 comments:

Anonymous said...

Então eu tenho.
(tata)

Paulodaluzmoreira said...

Sabe o que eu acho danado, Tata? É que essa frase que abre o livro ficou na minha cabeça um tempão: exercer autonomia, mas existe autonomia que não seja relativa? Quando é que a autonomia que a gente exerce basta e quando ela é que parece insuficiente?

Anonymous said...

Deve bastar quando a gente se dá por satisfeito, né? E sim, provavelmente toda autonomia no mundo é relativa. Mas de que tipo de discurso nós estamos falando? Do individual ou do coletivo? Se a frase significar que ter autonomia é ter um discurso próprio a respeito de si (ou seja, se a perspectiva for individual), então pensar de forma independente será o mesmo que ser autônomo. O pensamento não precisa estar atrelado a outros pensamentos e nem ao mundo material para existir (embora exista controvérsias a respeito disso). Isto não muda nada externamente, mas é possível, né?
(tata)

Paulodaluzmoreira said...

Acho que ela estava pensando num discurso de um indivíduo que percebe estar inserido num grupo social, numa situação social e mesmo numa identidade. Então, no caso dela, trata-se de um pensamento vivo dentro de um mundo material e espiritual. Acho difícil, Tata, um pensamento solto no éter; ele está pelo menos fundado à nossa experiência pessoal.

Anonymous said...

Pra mim, a experiência é uma ferramenta e não uma base. Mas o pensamento não está solto no éter. Pelo contrário, está preso a uma base químico-biológica.
...
Pois é, a primeira vez que li a frase ali só pensei em identidade. Depois, como que me desculpando comigo mesma, percebi que coletividade pode ser entendida como a soma de várias identidades, não?
Eu devo estar falando coisas que já foram faladas. Teve uma época na minha vida que li muito sobre esses temas. Mas o tempo passou e eu me esqueci. As frases me ocorrem como se fossem minhas - e são. Entende? Eis um exemplo de uso das ferramentas. rs
(tata)