Sunday, September 28, 2014

Tim Buckley e várias versões de "Song to the Siren"

Era uma vez um sujeito tímido até não poder mais, cheio de problemas pessoais, tentando fazer sucesso em música popular sem grandes resultados. Ele tem uma chance de cantar em 1968 no programa dos Monkees, aquele clone de Beatles. Ele senta num banquinho e manda essa canção:

Song to the Siren
Tim Buckley / Larry Beckett

Long afloat
On shipless oceans
I did all my
Best to smile
Till your singing
Eyes and fingers
Drew me loving
To your isle

And you sang,
Sail to me,
Sail to me,
Let me unfold you.
Here I am,
Here I am,
Waiting to hold you.

Did I dream you
Dreamed about me?
Were you here
When I was full sail?
Now my foolish
Boat is leaning
Broken lovelorn
On your rocks.

For you sing,
"Touch me not,
touch me not, come back tomorrow:
O my heart,
O my heart
shies from the sorrow"

I am puzzled
as the newborn child
I am riddled
as the tide.
Should I stand
amid the breakers?
Should I lie with
Death my bride?
Hear me sing,
"Swim to me,
Swim to me, Let me enfold you:
Here I am,
Here I am,
Waiting to hold you"


Tim Buckley morreu em 1975 aos 28 anos de idade. Um artigo muito interessante sobre essa canção que quase não foi gravada por ele está aqui e foi ressuscitada numa interpretação original de Liz Fraser que era para ser apenas o lado B de outra canção, que aliás eu nem sei qual é.


Essa é a famosa gravação no programa dos Monkees. Tim Buckley às vezes parecia querer sabotar a própria carreira e chega macambúzio, mas quando começa a cantar...

Cocteau Twins é uma banda de que eu gosto muito e Liz Fraser é uma cantora realmente original, que não fica repetindo certas frases típicas de cantoras gospel ou de blues. Eles fazem música popular sem ficar apenas reciclando maneirismos dos outros.

Robert Plant recuperou alguns elementos da ideia original da versão de Tim Buckley.

Bryan Ferry transformou "Song to the Siren" numa canção do Roxy Music e talvez seja a primeira versão que eu conheço que não repetiu nem Fraser nem Buckley.

Sined O'Connor acho que mais ou menos repete a versão de Fraser, mas das três ou quatro que fazem isso é a melhor.

3 comments:

sabina anzuategui said...

legal, obrigada por reunir as versões!

Tudo de Novo Outra Vez said...

A primeira versão é a minha preferida.
(tata)

Paulodaluzmoreira said...

Eu também gosto muito da primeira versão, Tata. O incrível é que durante muito tempo ela não era conhecida porque o Tim Buckley se recusava a grava-la depois que uma amiga deu uma ironizada num dos versos...