Monday, October 13, 2014

Mário de Andrade sabia das coisas



15. Todo o escritor acredita na valia do que escreve. Si mostra é por vaidade. Si não mostra é por vaidade também.

16. Não fujo do ridículo. Tenho companheiros ilustres.

17. O ridículo é muitas vezes subjetivo. Independe do maior ou menor alvo de quem o sofre.
Criâmo-lo para vestir com ele quem fere o nosso orgulho, ignorância, esterilidade.

Trechos do “Prefácio Interessantíssimo” de Mário de Andrade

No comments: