Monday, October 27, 2014

Reflexões na ressaca

1. O pessoal se enrola todo com essa tal de matemática, ainda mais com as emoções à flor da pele. Prestem atenção nos números. Os DOIS candidatos tiveram votações expressivas pelo Brasil inteiro. Felizmente não temos colégios eleitorais estaduais e por isso esses mapas azuis e vermelhos são uma bobagem. Ah, e também não se esqueçam que num universo tão grande é fácil encontrar doidos de pedra falando barbaridades com o seu telefone celular sobre qualquer assunto. Ajudaria muito mais tentar entender o porquê do voto dos outros ao invés de achar que todo mundo que votou em A ou B ou nulo [outra votação expressiva] é louco, burro, doente mental, etc. Há declarações de voto articuladas e inteligente para as três posições - claro que a tendência é que a gente concorde com uma e discorde das outras duas, mas ser condescendente com a opinião dos outros só piora as coisas.

2. Para a turma do "todo mundo no Brasil tem empregada doméstica": apenas 7.9% dos brasileiros têm curso superior [dado de 2010]; a taxa de população com acesso a automóvel ou moto ou caminhão é de 33.9% no sudeste do Brasil [mais ou menos um quarto em moto]; 11.7% tem plano de saúde privado; só menos de 7% das crianças entre 0 e 3 anos está numa creche privada e só 16% das crianças entre 3 e 17 está numa escola privada. Lembre-se você vive num país em que 90% das pessoas ganham no máximo 5 salários mínimos e onde 72% das pessoas ganham até dois salários mínimos [dados de 2010]. O salário mínimo no Brasil hoje é R$3,29 por hora, isso dá US$1.30 por hora - o salário mínimo nacional nos EUA US$7.25 por hora. Em outras palavras, se na sua família e no seu círculo de amigos mais de um em cada dez pessoas tem curso superior, mais de 3 em cada dez pessoas têm carro, mais de uma em dez pessoas tem plano de saúde, criança em creche ou escola provada. sua experiência de vida é muito atípica. Você pertence a uma minoria bem pequena. Suas prioridades de vida são provavelmente bem diferentes da maioria das pessoas. O fato do seu candidato esculhambar professores e equipamentos das escolas públicas ou o atendimento médico nas clínicas do SUS tem outro peso para a maioria. Outro peso tem o fato de você não achar vaga para estacionar na rua. Outro peso bem diferente tem ter que pagar caro por uma passagem de ônibus. A própria noção do que é caro para 90% dos brasileiros. Se você consegue, por exemplo, comprar um par de sapatos por R$300 sem fazer qualquer parcelamento ou gastar R$300 com livros ou restaurantes, você PRECISA entender que a maioria [no sentido bruto, número da coisa] das pessoas não tem.

3. O que eu gostaria, para começar: um novo ministro da justiça e um novo ministro da cultura, ambos claramente afinados com pautas progressistas sem meias palavras.

4. Porque se, num cenário impossível, o perdedor tivesse algum interesse no meu voto e tivesse oferecido dois nomes fortes, além de parar com essa demagogia barata de redução da maioridade penal... Bom aí ainda faltaria alguém no ministério da educação que... bom mais aí o Telhada e o Bolsonaro e o Feliciano não teriam apoiado e aí... sem falar nesse bando de hidrofóbicos que ficam cuspindo palavrões e falando barbaridades - se bem que aí, voltamos talvez ao ponto 1. Me impressiona a freqüencia com que gente inteligente fica repercutindo na internet declarações de gente como Bolsonários, Felicianus, Incontinentis e Constantinus, Telhados, Queixadas, Malafaicos, Tuminhas, aquele azedo de chapéu e óculos que era da Veja, roqueiros semi-aposentados, comediantes[?] desconhecidos, vizinha doida oxigenada, tatuado maluco falando com microondas, careca ensandecido que concorda com o programa sem saber, menina doida gritando com botons pregados nos peitos e um sujeito de cabelo pintado que é da TV local lá do sul não sem nem que estado e pela cara deve sofrer de uma hemorróida implacável. Graças a quem vocês acham que esse zoóligo humano vira C-lebridade! Depois a doida dos botons vira vereadora de Higienópolis e a loura do Leblon vira apresentadora de TV e vcs reclamam...

5. E aqui entre nós, falar de reforma política assim, sem dizer praonde ela deveria ir é chover no molhado, né? Eu vivo há oito anos num sistema distrital completamente falido, onde 49.5% dos votos muitas vezes se traduzem em 0% de representação e a $$$ corre livre e solta pela televisão. Isso aqui, em termos democráticos, é uma bosta. Então reforma e vamos aplaudir só porque vamos "debater"?

6. Chico Alencar, uma fonte insuspeita num momento insuspeito [hoje], levanta a lebre sobre o assunto das "doações" de campanha feitas pela Petrobrás. Se não fosse o Gilmar Mendes, esse corrupto Petralh... ei, mas quem foi mesmo que o colocou lá no STF? Querem apostar que os indignados de onde se metamorfosearão em pragmáticos amanhã?

No comments: